quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Ao encontro da aldeia abandonada do Gavião

Já há algum tempo que andava com a ideia de fazer uma visita a aldeia abandonada do Gavião, mas como o tempo não dá pra tudo, ainda o não tinha feito, mas no inicio desta semana, houve tempo para me deslocar a esta aldeia, onde em tempos moraram algumas famílias, encontrando-se agora abandonada, mas não na totalidade, uma vez que ainda existem algumas casas com telhado e portas fechadas, umas três ou quatro, presumo eu que pertençam a alguém que tenha propriedades ali perto. O melhor acesso para o Gavião é deslocar-se de Vila Flor em direcção ao Seixo de Manhoses e um pouco depois da entrada da aldeia, há uma placa indicando que se deve virar à esquerda em direcção ao Gavião, por um caminho em terra com alguma brita.
Vão-se encontrar alguns caminhos mais, mas é seguir sempre o inicial que tem alguma brita, até se encontrar um Cruzeiro. Um pouco mais à frente começam-se logo a ver algumas casas em ruínas, chegamos então ao Gavião. Todo o percurso foi feito de carro sem qualquer complicação.
Assim que dei entrada na aldeia, não perdi tempo, em começar a explorar a aldeia, entrando em algumas casas em ruínas, havendo apenas três ou quatro como referi anteriormente conservadas com telhado e portas, ao contrario das restantes que se encontram em completo abandono, em ruínas, onde a maioria só resta mesmo as paredes, paredes estas na maioria em granito. Desta aldeia abandonada consegue-se avistar o imenso Vale da Vilariça.
Depois de ter percorrido toda a aldeia, faltava apenas ir ao encontro da Capela, capela esta que está também em ruínas. ao entrar no seu interior pode verse o que resta do alter. Seria bom que pelo menos se restaura-se esta capela. Quem sabe se no futuro, não haverá alguém interessado em habitar a aldeia. Uma aldeia turística era uma boa ideia.

Depois de visitar o interior da capela chegou o momento de regressar a casa, mas é para voltar noutro dia e explorar mais ao pormenor.

1 comentário:

euroluso disse...

Boa ideia, a de falar da aldeia abandonada. As fotos a branco e preto são mais expressivas. não pode saber porque razão a aldeia foi abandonada?